A liberdade que a maternidade me deu | Maternamos
maternamos-a-liberdade-que-a-maternidade-me-deu

A liberdade que a maternidade me deu

Quando não era mãe, eu pensava que ser mãe seria perder a liberdade

Ter compromisso com outra pessoa mesmo sem vontade

Trocar a diversão por chateação, desenho, passeio

Enquanto isso, eu perdia mais de uma hora por dia lavando e secando cabelo

Vivia fantasiada de profissional, seguindo padrão alheio

Fingindo

Convivendo sem presença, comendo o que me serviam

Para ninguém perceber que eu não pertencia

Eu tinha medo do dinheiro acabar, e vivia cercada de carros, fumaça, concorrência

E do medo do dinheiro acabar

Engraçado que o dinheiro um dia acabou, quer dizer, acabou o emprego

E o mundo, em vez de acabar, acabou começando

E o que me deu força para me libertar, adivinhe

Foi aquele barrigão pesado com meu filho dentro

Que me mostrou, como um farol em mar aberto,

Qual seria o caminho certo

Juntamos mala, enxoval e cachorro

Para viver onde o farol apontou: era uma cidade chamada Maringá

Não tem caos urbano, não tem tendência

Mas tem muitas árvores para quem mora lá

Hoje eu lavo o cabelo quando dá

E com certeza esta não é a melhor parte do dia

Criei coragem de fazer o que amo, que é viver com ousadia

Falar com você

De vida, de maternidade, de amor

Sem medo de ser sincera, seja como for

E quem me deu a coragem para fazer tudo isso

Foi meu menininho, um pequeno que ainda não sabe nada disso

E quando eu quero rir do passado, eu me lembro

Que um dia eu achei que era livre sem ser

E que a maternidade iria me prender

E quem nasceu, naquela meia noite de 20 de março

Não foi só o meu guri

Fui eu, bem nascida, bem parida por mim mesma

Eu, verdadeiramente eu,

Livre.

 

Comments ( 2 )

  • Michelly

    Chorei, Nata. Lindo texto, lindo sentimento.

  • Raquel

    penso no mesmo jeito,como eu vivia antes

Post a Comment