Carta sobre o tempo, assinada por uma mãe de bebê | Maternamos
maternamos-criacao-com-amor-me-rendo-ao-tempo

Carta sobre o tempo, assinada por uma mãe de bebê

Ah, o tempo. Levou meu bebezinho de colo e me trouxe um menino curioso, que já troca um pouco a segurança do meu colo pelo fascínio de explorar o mundo. Tentei, e ainda tento, captar cada pedacinho da sua transformação com fotos, que nunca estão à altura do que vejo com meus próprios olhos, e já acumulei tantas, que acabei me conformando com tudo que não vou conseguir segurar dentro de um monte de papel.

Ele muda todos os dias, e ele vai continuar mudando, criando e inventando a nova pessoa que ele é. E eu vou ficar assistindo, com um pouco de coração apertado por saber que este tempo não voltará, mas aceitei que isso é a maternidade. É um desenrolar contínuo, de coração de mãe batucando apaixonado, vibrando por um bebê cada dia diferente. É querer conter o tempo, para guardar aquela carinha perfeita (e também com um desejo de corrigir nossos erros), mas depois perceber que não tem jeito. O tempo está sempre conosco, nosso fiel amigo.

Nos primeiros meses de vida do meu filho eu sofri muito com a passagem do tempo. Não tinha dado conta de tanta novidade, tanto sentimento dentro de mim, para aquilo tudo ir passando como passou. Agora já são 11 meses. Quase um ano. Um ano pode ser um período linear na vida das pessoas “normais”, mas o que é um ano na vida de uma mãe de um bebê? É uma vida inteira, tem tanta riqueza que a gente aprende a ser mais humana, mais gente, mais humilde, encantada pelas maravilhas de Deus, que fazem um palitinho de teste de gravidez se transformar em um mundo inteiro. Porque um bebê é um mundo todo para sua mãe, e os dois juntos são um sistema só.

Mas não é que conforme o tempo passou, eu parei de ter tanto medo dele? Porque tanta coisa linda ele veio trazendo, tanta história maravilhosa, tanta VIDA, que eu aprendi a conviver com ele. E eu fui aprendendo a colocar o meu amor em todos os momentos em que posso, e tentando com todas as minhas forças dar uma infância feliz para meu filho saber que a vida vale a pena, e fazer o seu coração ser forte. É isso que meu filho precisa de mim, e é isso que a passagem do tempo me exige.

Vem tempo, vem transformar meu bebê em uma pessoa grande, vem me ensinar que nada é para sempre, e que o melhor que devemos fazer é amar, amar, amar… E escolher ser um pouquinho melhores do que fomos ontem, na medida do que conseguimos – uns dias mais, outros dias menos, outras vezes nada.

Assim entendemos melhor nossas mães, sabemos como se sentiram nossas avós, percebemos que todos, afinal, somos iguais. E imaginamos como se sentirão os nossos filhos quando toda esta beleza que eu tenho hoje em minha vida desabrochar também diante dos olhos deles. E eu vou sentir alegria e paz onde eu estiver, pois vou ser tocada pela beleza da vida que corre perfeita dentro de um leito de rio. Para o melhor, para a mais linda versão que cada um pode ser, e para o que todos fomos feitos: uns para os outros.

 

Author Info

maternamos

Comments ( 5 )

  • Cinthia

    Lindo!!

    Não haveriam palavras melhores. Todo dia é uma novidade mesmo, todo dia a gente se pergunta se vamos dar conta e sentimos saudades do ontem e muitas saudades!! Mas o hoje é tão belo quanto e pode nos fazer feliz da mesma forma e com mais intensidade!

    Ter um filho é a maior, mais louca e mais linda experiência que uma pessoa pode ter e vou te falar: Pra quem não tem vc amar quando tiver; pra quem já tem, ame muito seu bebê independente da idade dele!!!

    • maternamos
      Maternamos

      Cinthia, é bem assim mesmo! A gente vai aprendendo, sentindo o que já passou, e ao mesmo tempo o amor só cresce. Beijos pra vc!!!

  • Karina Pereira

    Que texto lindo, muito me identifiquei.

    • maternamos
      Maternamos

      Obrigada Karina!! A gente sofre com a passagem do tempo e ao mesmo tempo curte muito, ne?? beijos

  • Anônimo

    Nossa que coisa mais linda, exatamente tudo que penso e sinto, meu filho cada dia mais independente e querendo liberdade, essa semana completa 7 meses e quer só engatinhar e subir, brincar, é uma criança muito ativa e atento a tudo que passa e eu a cada dia tentando entender e aceitar tudo e todas as transformações que vem acontecendo, é verdade que isso me doí mas temos que aceitar e deixar o natural agir.

Post a Comment