E se eu ousar escolher | Maternamos
maternamos-criacao-com-amor-e-se-eu-ousar

E se eu ousar escolher

E se eu ousar, somente hoje, não fazer tudo correndo enquanto o meu filho está na escola?

E se eu ousar sentar para almoçar, e só parar de comer quando realmente eu estiver saciada? E se eu deixar a louça na pia?

E se, em vez de me jogar no trabalho sem sentir nada, eu parar para pensar por onde eu realmente quero começar hoje?

E se este trabalho for algo novo, que ainda precisa de muita construção, longe dos meus velhos conhecidos?

E se o dinheiro for incerto, e mesmo assim, eu decidir confiar?

E se eu quiser trabalhar com o meu cachorro no colo, e seu cheiro e seus pelos forem um santo remédio?

E se eu parar na hora do pôr do sol para ver o vermelhão no horizonte?

E se eu dispensar a faxineira e aprender a lidar com uma casa menos limpa?

E se eu começar a fazer as unhas toda a semana? E se eu não escolher a cor mais prática e sem graça? E se eu pintar de preto, vermelho ou vinho, dependendo apenas do meu humor?

E se eu ousar vestir minha roupa preferida dentro de casa, somente porque eu gosto? E se no dia seguinte eu quiser ficar de pijama até mais tarde, também por puro gostar?

E se eu parar de reservar no armário as coisas boas para o futuro, como aquele sabonete cheiroso que ganhei há não sei quanto tempo? E se eu me banhar com este sabonete hoje mesmo? O que acontecerá com a família, com a Terra, comigo, com tudo o que me rodeia?

E se eu decidir que posso levar meu filho e meu marido para o boteco num fim de tarde na sexta-feira? E se eu parar de achar que não posso fazer certas coisas só porque sou mãe?

E se ousar decidir ser a namorada, e não a esposa, por apenas um momento, e se sentar no chão com o meu filho para ser a sua amiga e não a sua mãe? E se eu me preocupar mais em fazer a minha criança sorrir do que em alinhar as suas roupas?

E se eu ousar sentir, saber que estou viva, e admitir que só estou aqui de passagem?

E se eu deixar o passado dormir tranquilo, porque ele não volta mais?

E se eu aceitar perder as pessoas que não fazem mais parte da minha vida?

E se à noite eu me lembrar de rezar e a minha primeira oração for de agradecimento?

E se eu fizer assim somente por hoje, porque hoje é tudo que eu tenho?

Comment ( 1 )

  • Michele

    Lindo texto!
    Precisamos ousar mais mesmo!

Post a Comment