Relato do primeiro mês de BLW | Maternamos
maternamos-blw-relato-primeiro-mes

Relato do primeiro mês de BLW

Comecei o BLW com meu bebê quando ele tinha seis meses. A pediatra recomendou iniciar apenas com frutas, mas eu quis oferecer outras coisas também. Mas ela estava certa (risos), pois ele aceitou apenas as frutas na maior parte do primeiro mês. Fiquei contente pois sabia que a opção pelas frutas não tinha sido minha, mas uma decisão dele. Então tudo bem, eu acredito que o corpo dele sabia o que estava fazendo.

O primeiro alimento que ofereci para ele foi uma banana, mas não deu muito certo porque é uma fruta bastante pesada e por isso é meio difícil de segurar. De forma geral, o manuseio da comida aconteceu com uma certa dificuldade, as coisas escorregavam bastante, mas na verdade o maior desafio do primeiro mês de BLW foi o pouco interesse do meu filho pela comida.

Na maioria das vezes ele não queria experimentar, ou experimentava bem pouquinho. Em várias ocasiões ele ficou com as mãozinhas para cima e não queria nem tocar em nada. Lembro de poucos sucessos: chupou um pouco de laranja, um pedacinho de mamão, de mexerica.

Tudo bem pouquinho. Quando acontecia de entrar algum pedacinho de comida na boca dele, ele ficava super incomodado, tentava cuspir e não queria mais experimentar nada! Durante o primeiro mês, eu ofereci café da manhã, almoço e (às vezes) lanche da tarde, e percebi uma aceitação um pouco melhor no café da manhã.

Comecei usando um cadeirão de alimentação tradicional, mas não deu muito certo porque a mesinha ficava um pouco alta para ele e era enorme. Depois troquei por uma cadeirinha bem menor, com uma bandeja também menor e mais baixa.

Para mim, acho que o maior desafio foi ter que começar a me preocupar com compras e preparação de alimentos, pois até então eu podia comer qualquer coisa. Também passei por uma certa “crise dos seis meses” quando percebi que nosso ritmo de amamentação levaria bastante tempo para se alterar, e na prática, tudo continuaria exatamente como estava: na base da amamentação exclusiva.

Mas eu estava bem informada e quis persistir. Não tive a mínima vontade de partir para a colherzinha. Meu marido ficou super desconfiado com o método e disse que só acreditaria vendo. Por sorte ele logo veria avanços que nos dariam mais ânimo para continuar.

(Continua…)

 

No Comments

Post a Comment